[Áudio Clássico] Tape deck Evadin TD 551D - Testando um clássico que tem ótimo som e é extremamente robusto! 

Aparelhos de som vintage
Modelos dos anos 70, 80 e 90
Restauração • Conserto • Dicas • Artigos • Utilitários

Site desenvolvido e mantido pela

Home
 
Artigos e dicas
 
Cálculos e dados
   
Aparelhos restaurados
 
Informações e discussões
 
Equipamentos à venda
 
Contato conosco
Inscreva-se no nosso canal no Youtube para ser notificado de novos vídeos

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 27 artigos nesta área)

Tape deck Evadin TD 551D - Testando um clássico que tem ótimo som e é extremamente robusto!

Tape deck fabricado em 1975 pela Evadin, que no Brasil é mais conhecida pela sua marca Aiko.

O vídeo explica como funciona e mostra os testes que foram feitos nele, inclusive com medições, deste famoso tape deck, fabricado pela Evadin em Manaus nos anos 70. A Evadin é uma empresa brasileira, mais conhecida pela sua marca Aiko.

Depois que adquirimos este aparelho, bastou uma pequena revisão para que continuasse funcionando muito bem, com um som ótimo e totalmente adaptado às fitas cassete que a gente encontra hoje em dia. Durante a revisão, ele foi regulado com uma fita Maxell UD (tipo 1) atual, que é bem melhor que as que existiam na década de 70. Conforme mostrado no teste, o resultado superou em muito a especificação original, chegando facilmente a mais de 15 kHz, marca excelente para qualquer gravador cassete, especialmente para um como este, fabricado há tanto tempo.

Agradecemos ao dono anterior, que manteve e preservou tão bem este aparelho. Claro que tem pequenas marcas no acabamento, mas nada que comprometa a presença forte e marcante deste modelo clássico, que vai fazer bonito em qualquer aparelhagem vintage e vai fazer a alegria dos fãs das fitas K-7.

A revisão foi feita recentemente e consistiu na troca das correias e do rolo pressor, além de uma higienização geral. Na mesma ocasião, a parte eletrônica foi verificada em laboratório especializado que constatou que os parâmetros estão dentro das especificações de fábrica (vide abaixo as especificações e no vídeo veja os testes feitos em laboratório). Durante a revisão foi regulado com uma fita Maxell UD (tipo 1) atual, que é bem melhor que as que existiam na década de 70. Conforme mostrado no teste, o resultado superou em muito a especificação original, chegando facilmente a mais de 15 kHz, marca excelente para qualquer gravador cassete, especialmente para um como este, fabricado há tanto tempo.

Tem um som alto, limpo, firme e de boa qualidade. Tem sistema Dolby B de redução de ruídos, que reduz sensivelmente o chiado nas fitas mais antigas ou mal gravadas.

Agradecemos ao dono anterior, que manteve e preservou tão bem este aparelho. Claro que tem pequenas marcas no acabamento, mas nada que comprometa a presença forte e marcante deste modelo clássico, que vai fazer bonito em qualquer aparelhagem vintage e vai fazer a alegria dos fãs das fitas K-7.

A Evadin foi uma das maiores fabricantes de eletrônicos no Brasil dos anos 70. Instalada na zona franca de Manaus, montava no Brasil aparelhos originalmente feitos pela Aiko e Mitsubishi. Não consegui identificar qual modelo deu origem a este Evadin, mas seguramente foram feitos no Japão e simplesmente montadas no Brasil. Digo isto porque o TD-551D é um clone do modelo americano Lafayette RK-D200, que é exatamente igual e que era feito no Japão (veja o vídeo).

O fato é que este aparelho está conservadíssimo, considerando-se que foi vendido há 47 anos. Obviamente, tem alguns pequenos sinais, marcas e arranhões, mas nada grave ou que altere a estética.

Aparelho grande e imponente, com um som poderoso. Vai ficar bem em qualquer aparelhagem vintage de boa qualidade.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS
Dimensões: 434 (L) x 165 (A) x 273 (P) mm
Peso: 6 kg
Quantidade de cabeças: 2
Rolo pressor: 12,5 mm x 2 mm (eixo)

MEDIÇÕES FEITAS EM LABORATÓRIO
Wow & Flutter: 0,20 % RMS (excelente!)
Resposta de freqüencias (fita Maxell UD) 30 Hz a 15 kHz (veja no vídeo esta medição)
Nível de ruído (sem Dolby) 50 dB (aproximadamente)
Nível de ruído (com Dolby) 60 dB (aproximadamente)
Freqüência de BIAS: 70 kHz
Saída: 400 mV a 0 dB (550 mV no nível Dolby)
Sensibilidade de linha: 70 mV (aproximadamente)

Publicado em 23/02/2022 às 17:42 hs, atualizado em 16/05/2022 às 18:33 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 27 ARTIGOS SOBRE :
Som de primeira! Tape deck Gradiente C-464 - Análise, testes em laboratório e dicas para compra
Análise completa e teste em laboratório dos Tape deck Gradiente CD-2300, o “fusca” dos gravadores
Curiosidade dos anos 60 !!! Gravador K-7 Philips 2205, exemplo de boa engenharia e peças de qualidade
Tape deck Akai GX-M10 - Testando esse clássico dos anos 70! Wow & Flutter e resposta de freqüência
Tampa nova de acrílico renova o visual do toca tiscos Polyvox TD-1900 que funciona muito bem
Par De Caixas Som Gradiente Ds-78 (master 78) Ótimo Estado
Receiver Gradiente S-126 - Recursos, conexões e construção interna
Toca discos Gradiente B-25 - Demonstração dos controles e do funcionamento
Toca discos Gradiente DS-20 demonstração dos controles e do funcionamento
Tape Deck Pioneer CT-W430 - Robusto, confiável, durável e com Dolby HX para fazer gravações excelentes
Tape deck Pioneer CT W502R restaurado, veja como ficou depois que trabalhamos nele
Tape deck Polyvox CP 750 - Características, qualidades e funcionamento
Tape Deck CCE CS-703 tem som de primeira linha mesmo depois de 46 anos de uso
Clássico dos anos 90! Tape Deck cassete Pioneer CT W350R em pleno funcionamento e com ótimo som
Tape deck Pioneer CT-W404R apresentação e teste de gravação com música
Conheça as caixas Gradiente Woofer + satélite (SW-30 e SS-30) - Tamanho pequeno mas som de qualidade
Toca Discos Polyvox TD-1900 - Uma restauração não tão difícil para um aparelho bem honesto...
Toca discos Gradiente S-96 teve pouco uso mas precisou de uma restauração difícil para voltar à vida
Demonstração Tape Deck Pìoneer CT-W703RS com Dolby S, BLE e FLEX
Tape Deck Akai CS-705D funcionando perfeitamente mesmo aos 40 anos de idade - Conheça este clássico
Toca discos vinil Gradiente DD-100Q do final dos anos 70 comprado novo e ainda em perfeito estado
Tape Deck Pioneer duplo CT-W203 voltou a funcionar depois de ficar 20 anos guardado num armário
Tape deck Pioneer CT W504R demonstração dos recursos e funcionamento do Dolby Automático
Tape Deck Pioneer CT-W604RS com Dolby S e BLE demonstração dos recursos e funcionamento
Um sonho de consumo! Conheça um Tape Deck Gradiente CD-2500 em estado de novo
Tape deck Gradiente CD4000 finalmente funcionando depois de ficar anos num técnico que não conseguiu arrumar
Tape Deck K-7 Pioneer duplo CT-W203 - Básico sim, mas com som de 1ª linha!


  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.