[Áudio Clássico] A lenda do “é só trocar a correia” nos tape decks à venda 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Revista PnP   Revista PeC   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Boletins   Anuncie   Quer colaborar?   Dúvidas técnicas  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre
Artigo (veja mais 5 artigos nesta área)

A lenda do “é só trocar a correia” nos tape decks à venda


Todos os os tape decks à venda foi fabricada antes dos anos 2000, último ano em que as grandes marcas fizeram estes aparelhos. Ou seja, todos os que estão à venda foram fabricados há pelo menos 20 anos. A maioria, contudo, foi fabricada nos anos 70 e 80 ou, em outras palavras, há 3 ou 4 DÉCADAS. São 40 anos de idade. Se o ser humano com esta idade já está ficando meio velhinho, nos aparelhos eletrônicos esta idade causa efeitos devastadores. A bem da verdade, devemos admirar como estes aparelhos foram bem fabricados. Feitos para durar mesmo. É claro que também havia os aparelhos de segunda linha, feitos por fábricas pequenas, mas os que sobreviveram durante este tempo todo é porque foram feitos com capricho e usando peças de boa qualidade. Os que eram vagabundos já foram há muito tempo para o ferro-velho.

Pensando nesta situação, é normal que os tape decks à venda tenham TODOS algum tipo de problema. Se o aparelho ficou muito tempo parado, então é normal que as partes de borracha tenham sofrido bastante e, no caso específico das correias, é perfeitamente aceitável que elas estejam quebradas, rachadas ou flácidas. O que é que isto causa no aparelho? Desde defeitos mais graves, ou seja, não funciona, ou então funciona mas o som fica péssimo. Também pode acontecer da fita começar a rodar e parar logo em seguida.

Quer dizer, então, que basta trocar as correias e o aparelho vai voltar a funcionar normalmente? Muito provavelmente não. Se as correias estavam ruins outros itens também devem estar com problema. As demais borrachas também devem estar desgastadas, as partes que precisam de lubrificação devem estar travadas, as chaves e potenciômetros devem estar com mau contato e a poeira acumulada deve estar interferindo no funcionamento dos circuitos.

É aquela velha história do iceberg, aqueles enormes blocos de gelo que ficam flutuando nos mares frios. A parte que fica para cima da água representa algo como 10% do volume total do iceberg, o resto está em baixo da água. Fazendo uam analogia, as correias com problema são apenas a ponta do iceberg, o restante dos problemas estão escondidos, só vão ser descobertos quando fizermos uma checagem mais apurada no equipamento, conforme explicamos em outro artigo.

Publicado em 23/08/2020 às 09:41 hs, atualizado em 25/08/2020 às 07:57 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 5 ARTIGOS SOBRE :
Porque o gravador cassete é o complemento ideal para um toca-discos de vinil
Afinal de contas, qual é a melhor marca de aparelho de som vintage?
Qual é a graça dos aparelhos de som vintage?
Dicas para comprar um tape deck cassete vintage
Qual é a diferença entre consertar ou restaurar um aparelho de som vintage?

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Áudio Clássico e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: leitor@revistapnp.com.br
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.